sexta-feira, 18 de agosto de 2017

LAVA JATO

Tirei o feriado de 15/08 em Belém para resolver vários assuntos.
Perto da hora do almoço fui levar o carro para lavar.
Quase não tinha ninguém, deixei o carro e fui a uma sala, fiquei lendo coisas no celular. Acho que tinham uns dois carros na minha frente.
De repente entrou um cidadão na sala e continuei fazendo o que estava.
Mas logo depois começou a puxar papo, calor aqui, estava desacostumado, falou que estava morando em Curitiba faz muito tempo e sua família estava no mosqueiro, mas preferiu ficar em Belém.
O papo não me interessou e continuei no celular.
O paraense morando em Curitiba, continuou, tudo parado não é, estou em Belém se fazer nada, família no mosqueiro e minha esposa ficou em Curitiba, pois detesta Belém.
Respondi de forma banal e o cara continuava a falar, de repente, perguntou se eu conhecia alguma boate, disse que não.
Falou que estava a 15 dias na cidade e no seco.
Achei a conversa meio estranha para desconhecidos, mas resolvi dar corda.
Falei que é complicado ficar longe da mulher, sem sexo, ele confirmou.
Notei que o quase curitibano, não deixava de ficar olhando meu pau.
Só aí me dei conta e falei, o bom de estarmos em outra cidade, sem a mulher é que se pode fazer coisas que na nossa cidade jamais se faria.
Ele perguntou se eu queria ir ao ap de seus pais, tomar uma gelada. Disse que sim, mas antes teria que ir a outro lugar. Ele me deu o endereço e o celular.
Fui deixar uma encomenda na casa de minha mãe, depois liguei e ele estava em casa e prá lá fui.
Subi ao ap e o cara estava com um short bem pequeno e sem camisa, me ofereceu uma cerveja e ficamos conversando.
Em uma das vezes que voltou da cozinha com cerveja, notei que parecia que tinha puxado o short pra dentro da bunda.
Perguntei, não te incomoda com esse calor, ele respondeu, que nada, to acostumado, assim ficou bem claro o que ele queria.
Sentado no sofá, falei, me chupa, ele de pronto, tirou a minha bermuda e passou a me chupar.
Abriu minhas pernas e chupou bastante meu saco e meu cu.
Se levantou e fomos ao quarto, quando tirei essa foto.


Adoro bundas peludas.
Abri aquele cu e linguei bastante, a putinha gemia, ficou de 4 no canto da cama e disse mete, meti sem piedade, cu bem apertado, a puta gemia, rebola, depois me deitou na cama e sentou no meu pau, entrava e saída até talo.
Gozei bastante e a puta acabou gozando também.
Fui ao banheiro e o macho foi atrás, disse, sei cuidar do meus homens, me deu um gostoso banho.
Fui embora, sem antes a puta falar que quer mais em dezembro, quando voltará a Belém.

FUDENDO NO BANHEIRO

A vida tem apresentado grandes riscos, mas muitas vezes a excitação e o tesão, fazem a gente ficar cego.
Viajei por férias por 30 dias fora de Belém.
Assim que voltei de férias, recebi convite de amigos para comermos carangueijo e assim fui, minha mulher não quis ir, pois muita coisa para ajeitar em casa, após nossa ausência
Não gostei muito do local, calor, mas comida boa e bom papo com os amigos.
Muita cerveja e muita conversa.
Fui a primeira vez ao banheiro e vi um rapaz me olhando, mas deixei passar.
Depois, em razão de tanta cerveja, fui a segunda vez e desta vez, vi claramente que o rapaz me segui e ficou me olhando no banheiro.
Cheio de tesão, mas me controlei, pensei, meu deus, aqui, com todos os meus amigos, conhecidos, não vai rolar.
Vi que o rapaz devia estar com a família.
Fui para fora fumar e eis que o rapaz vai junto, não disse nada, mas discretamente me passou um bilhete e voltou ao restaurante.
Li e esta escrito o seguinte: ADORO URSOS, ESTOU NO BANHEIRO, VEM ME COMER. CONFIA É NO SIGILO.
Meu coração palpitou, meu pau deu sinais de vida.
Fiquei pensando, vou ou não, o desejo por um rabo estava grande, e não sei o que me deu, mas fui. Sei, é uma loucura, mas fui.
O restaurante pela hora estava quase vazio, nossa mesa e mais umas duas ou três ocupadas.
Voltei ao restaurante e fui ao banheiro sem meus amigos me verem.
Cheguei no banheiro e o rapaz estava no box, entrei e fechei a porta,
O espaço era apertado, o rapaz se colocou de 4 no chão já sem roupa, passou cuspe no cu e me meu uma camisinha. 
Vejam a foto.

Entendi, tentei ficar de 4, e consegui com dificuldade, e passei a meter no rapaz, no início foi difícil, mas acho que ele estava acostumado e facilitou, bombei aquele cu e gozei muito rápido.
Me levantei, limpei o pau com papel higiênico e fui embora.
Voltei a mesa com os amigos, que perguntaram, égua da demora, dei a desculpa que estava com dor de barriga, brincaram que eu não estava mais acostumado com a comida paraense.
De repente vi o rapaz pelo salão, meu coração parou, gelei, pensei: vai dá merda, se esse cara vier falar comigo.
Felizmente, graças a todos os santos, ele voltou a sua mesa e logo depois foram embora.
Fiquei pensando, que loucura que fiz, imagina a merda que poderia ocorrer, se alguém visse ou entrasse no banheiro, se o  caro fosse do mal.
Ao final tudo deu certo, mas até agora não acredito na loucura que fiz, mas o cu valeu a pena.

sábado, 8 de julho de 2017

CU DE OPERÁRIO

Estou quase saindo do trabalho na sexta por volta das 13 horas, um grande amigo liga me pedindo um favor, não iria chegar a tempo e queria que eu fosse na casa de sua sogra que está em reforma, para pagar o operário.
Puta merda, em plena sexta, mas não tive como não atender esse amigo.
Mandei tirar dinheiro no banco e falei que só poderia ir por volta das 17/18 h, pois iria almoçar com amigos.
Deu-me o telefone do operário, Alan, liguei e mandei que me esperasse.
Perto das 17h liguei ao Alan, informando que já estava indo, lá pra banda da Pedreira. O operário falou que estava aguardando.
Cheguei no local, paguei o Alan, ele assinou recebido e indo embora, disse, Dr. tenho uma dúvida, ontem peguei dois colegas fudendo na obra, acho que devo contar ao patrão. Respondi, de fato, não se deve fazer tais coisas no local de trabalho.
Alan, falou, mas tenho pena, vão perder o serviço e confesso que já fiz isso.
Falei, cara que conversa é essa, mas meu pau já dava sinais de tesão.
Alan, disse desculpa Dr, mas sabe é coisa da natureza.
Entendi o recado, mas fiquei com muita dúvida, porem como já estava com tesão e cheio de whisky na cabeça, falei, queres que eu te foda?
Alan disse, com certeza Dr., espere um pouco, me levou a um quarto e logo depois voltou com essa cinta. Vai vê o puto fica fudendo na obra.


Fui rápido no carro e peguei camisinha. Nem deu tempo dele me chupar, já ficou de frango assado e meti no operário sem piedade.

Não é meu tipo de macho, muito magro, mas bebido, cu não se recusa.
A puta gemia no meu cacete.

Continuei metendo.
Perto de gozar, tirei o pau do cu do operário, tirei a camisinha, mandei ele abrir o cu e esporrei naquele buraco,
Me limpei e fui embora. Que loucura, espero que meu amigo não fique sabendo, só depois que se faz a merda é que se arrepende, mas que foi bom, foi.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

E AGORA!!!

Caros leitores do Blog.

Tem um cidadão casado, que faz tempo tempo veio de outro Estado e estamos trabalhando juntos aqui em Belém.
Já o conhecia, estivemos juntos em 2 ou 3 reuniões em Brasília.
Ele está dando todos o sinais que quer sexo.
O que devo fazer, me abro com ele e fudemos ou fico na minha?

O ACASO - FODA COM UM CEARENSE


Fui jantar com uns amigos em um restaurante em Belém.
Conversa meio chata, só falavam de trabalho e as coisas de sempre, quem era gostosa, quem estão comendo e o mais chato de tudo, papo de futebol.
Fui para fora do restaurante fumar e estava um cara também fumando, até aí nada de mais.
De repente puxou papo, que coisa doida é Belém, um calor de lascar e logo depois vem um temporal.
Respondi, é o calor do Pará e depois bem uma brisa.
Falou que morava em Fortaleza, estava a trabalho em Belém (trabalhava com vendas) e no dia seguinte iria a Macapá, falei que Macapá o calor era pior ainda.
Terminei de fumar e voltei a mesa com meus amigos.
Pedimos a conta e antes fui ao banheiro, e logo depois chegou o cabra do Ceará.
Vi que ficou olhando, enquanto eu fazia xixi, na maior cara de pau, perguntei, o que olha, ele ficou desconfiado e disse nada.
Dei uma risada.
Falei que além do calor, os paraenses são bons anfitriões e lhe ofereci carona, mas respondeu que estava de carro e poderia me levar, agradecendo a oferta.
Disse-lhe que aceitaria. Senti um clima no ar.
Voltei a mesa e só estava um amigo, disse-lhe que poderia ir, pois teria que voltar ao banheiro, inventei dor de barriga.
Nessa altura, o visitante de Fortaleza ainda estava na mesa, meu amigo foi embora e ao ir ao banheiro passei em sua mesa e falei que aceitava a carona.
Ele respondeu, me espera, vou pagar a conta e te levo.
Voltei para fora do restaurante e acendi mais um cigarro.
O de Fortaleza chegou e fomos ao seu carro, estacionado bem perto.
Falou que viaja muito e agora também pelo Norte, sente saudades da esposa e das duas filhas.
Perguntou se eu conhecia uma boate e nisso, ao passar a marcha do carro, passou a mão pela minha perna e se desculpou, falei sem problema, o carro era pequeno.
Seu hotel é perto de onde moro. E aí falei, queres algo mais.
Ele ficou vermelho e respondeu, sim vamos fuder.
Chegamos no hotel e subimos. Fui ao banheiro e quando voltei, o amigo já estava sem roupa, deitei na cama e ele abriu a bunda e falou é toda sua e tirei a foto abaixo.


Respondi, claro.
Ele passou a me chupar e disse que ainda bem que antes de ir embora, estava provando um paraense.
Chupou com maestria.
Foi ao banheiro e voltou com camisinha.
Falou, mete com vontade paraense.
Ficou de frango assado e passei a socar aquele cu, no início reclamou, mas depois relaxou e bombei com vontade e o cearense, batia uma punheta.
Gozou antes de mim, mas continuei socando aquele cu e finalmente esporrei.


Uma delícia ver minha pica entrando e saindo daquele cu, esfregando os pelos.
Ele ainda tirou minha camisinha e ficou pegando no meu pau.
Foi uma boa foda.
O cearense vai voltar a Belém em agosto, e tomara que eu possa comer de novo seu cu.


terça-feira, 27 de junho de 2017

FOGO DE CHÃO

Apesar das dificuldades, acho que tem alguém lá em cima olhando por mim.
Detesto Brasília, mas detesto mesmo, para mim, é puro trabalho, estresse e o clima nada ajuda, mas fazer o que, tenho que ir sempre a Brasília.
Lá eu tinha uma reunião na terça-feira, pensei, bem, vai dá para ir e voltar no mesmo dia e assim fiz. Pedi para emitirem a passagem e lá fui eu.
Peguei o voo da GOL às 06:00 horas e a volta no mesmo dia pela mesma empresa as 21:35.
Sai de casa, com os seguranças e o motorista e rumo ao Val de Cans.
Ao chegar em Brasília, já estava o carro oficial me esperando e os seguranças.
Partimos ao local da reunião que começou as 09:00. Quando deu por volta das 13:00 horas, paramos para um pequeno lanche e retomamos à reunião.
Lá pelas 19 horas tudo encerrou, quando ia pedir ao funcionário para chamar o motorista, mas um colega me chamou ao lado e disse: amanhã teremos um encontro com X e gostaria de você estivesse, preciso de apoio naquele projeto e o Senador Y vai estar também e como é seu amigo, vai facilitar.
Pensei, PQP, não vou voltar hoje a Belém, mas atendi ao apelo do colega.
Pedi para remarcarem a minha passagem de volta agora pela LATAM na quarta às 12:30 h.
Como não tinha levado nenhuma roupa, mandei um funcionário ir ao Pátio Brasil Shopping, comprar uma camisa, cueca e mais algumas coisas.
Ao mesmo tempo, pedi para reservarem uma suíte no Meliá Brasil 21, hotel que gosto de ficar.
Fui para o hotel, fiz o check in e marcamos para mais tarde jantarmos na Fogo de Chão, subi ao apartamento, tomei banho e ao sair, as minhas coisas que foram compradas já estavam no quarto.
Me arrumei e fui a Fogo de Chão. Lá pelas tantas, fui para fora fumar e eis que resolvo entrar no aplicativo GROWLr, vi um belo urso (não tinha foto de rosto) a poucos metros, puxei papo, e ele estava em um restaurante bem perto.
Falou que era de Salvador e estava a trabalho, hospedado no hotel Y.
Falei que estava na Fogo de Chão. Ele mandou foto de rosto e retribui.
Voltei ao restaurante, terminamos o jantar e me despedi do pessoal.
Disse que queria ir andando, pois meu hotel é bem perto e dispensei o motorista e os seguranças.
Após me certificar que todos já tinham ido, o amigo urso de Salvador me disse no aplicativo que já estava em seu hotel, no apartamento XXX.
Rumei ao hotel do urso, antes parei no posto de gasolina e comprei camisinhas.
Subi ao ap do urso, que me recebeu apenas de cueca.
Um belo homem, 55 anos, moreno, grisalho, bem peludo.
Me serviu uma dose de whisky e já nos beijamos.
O urso ofegava, me beijava, chupava meu peito, ficou de joelhos no chão e começou a me chupar, depois me virou de costa e passou a língua na minha bunda.
Fomos para a cama e o urso de salvador, continuo a me chupar, falava que adorava pica, balbuciava, murmurava coisas que não entendia.
Dei-lhe uma camisinha e ele carinhosamente colocou no meu pau, depois passou cuspe em seu cu e sentou na minha pica, falando, me fode pai, goza na tua puta.
O urso com mastreia entrava e saia da minha pica e seu pau, batendo na minha barriga, aumentava cada vez mais a frequência e gozamos juntos, melando minha barriga com a gala do urso.
Ele sai de cima do meu pau, tirou a camisinha e com uma boca maravilhosa lambeu toda a gala que estava na minha barriga e ficou ainda brincando com meu pau.
Que foda boa, fui ao banheiro me limpei, me vesti e me despi do urso de salvador, fui a pé ao meu hotel e dormi como um anjo.
Ainda bem que fiquei essa noite em Brasília.



CADA DIA MAIS COMPLICADO

Tudo fica mais complicado a cada dia que passa.
Para piorar tudo, fui nomeado para um alto cargo na esfera federal, assim por força do cargo, estou constantemente na imprensa, dou várias entrevistas, logo meu rosto fica público e conhecido.
Com isso, as minhas ações ficam cada vez mais limitadas, até mesmo em viagens, fica tudo difícil, pois agora fico cercado de muita gente e seguranças.
O tesão só aumenta e fico sem poder brincar com amigos.
Em Belem tudo é mais complicado, pois mesmo quando encontro casados como eu, não possuem local, além disso homens maduros solteiros ou separados, raramente moram só. Não sei o que ocorre em Belém, mas égua do povo para não ter independência emocional e financeira.
Também tudo complica, pois a maioria das pessoas querem foto de rosto, o que não envio, nunca se sabe realmente com quem se tecla.
Já estou quase explodindo de desejo.


domingo, 7 de maio de 2017

UMA AMIGA E UMA NOVA EXPERIÊNCIA

Sem tempo disponível, muito trabalho e o que tem aparecido não me agrada, já estava conformado que em Belém tudo acontece devagar, muito bate papo furado e aliado ao fato do sigilo e reserva, se joga fora muitas propostas.

Eis que depois de uma reunião de trabalho, que terminou por volta das 19 horas, fui com dois amigos a Grand Cru Belém, na Braz de Aguiar, estava cansado, mas acabei aceitando o convite e pensei que seria uma bela oportunidade para aliviar o estresse. Avisei a minha mulher e partimos para uns bons copos.

Uma hora depois, mais ou menos, resolvi ir embora, meu amigos falaram que depois acertavam a conta. Fui ao caixa pagar uma encomenda que fiz, eis que alguém bate no meu ombro, dizendo: tudo bem?

Virei e era uma mulher, não reconheci, ela percebeu e tratou logo de falar, sou Fulana, lembra, da Faculdade. Estava bem diferente, cabelos loiros e mais magra. Respondi, claro que lembro.

Na época da faculdade, sai com a agora loira, por uma duas ou três vezes.

Ela estava com uma amiga em uma mesa e fui para lá. Acabamos ficando em uma conversa reservada. Contou-me que casou, tinha dois filhos adolescente e morava agora em Macapá e os pais tinham falecido. Estava em Belém para um curso e voltaria no dia seguinte a Macapá.

Falei um pouco da minha vida e quando percebi já era quase 22 horas. Falei que tinha que ir embora. Ela de imediato respondeu: vou para o hotel sozinha?

Entendi a proposta, falei, bem onde vc está? Estou hospedada no BELÉM SOFT HOTEL, aqui mesmo na Braz. Fomos andando até o hotel e subimos. Antes, liguei para casa e avisei que iria me atrasar.

Ao ela fechou a porta, nos beijamos, tirando a roupa com pressa. Fomos tomar banho e ficamos nos amassos, depois voltamos ao quatro, mais beijos e ela ficou de joelho no chão e começou a me chupar, a agora loira, mesmo com seus quase 50 anos, ainda era muito gostosa.

Deitei na cama e ela continuou a me chupar, eis que de repente, passa o dedo no meu cu, fiquei tenso, e ela perguntou se eu queria experimentar coisas novas, disse vai em frente. Ela se levantou, foi até a mala e pegou KY. Voltou, colocou um travesseiro debaixo do meu quadril, abriu minhas pernas e passou a chupar meu cu e ao mesmo tempo, batia punheta pra mim.



Confesso que gostei. Depois de muito chupar, passou KY no meu cu e no meu pau, com uma mão, brincava com meu rabo, com a outra punheta. Nunca tinha experimentado tal situação e deixei me levar, até que gozei fartamente.

Ela brincou, gostou!!!! Disse-lhe que sim. 

Disse, agora quero gozar, passei a chupar aquela buceta madura, bem rosada, e a amiga loira gozou bastante.

Fui tomar banho, me despedi, chamei um táxi e fui para casa, pensando, que ainda existem muitas novidades e prazeres a serem descobertos.




quarta-feira, 1 de março de 2017

CU DE ESTRANGEIRO

Lembram que fui ao exterior.
Pois bem, após quatro dias de trabalho intensos, meu voo retornava ao Brasil no sábado.
As diversas reuniões de trabalho, terminaram na quinta a tarde e estando muito cansado, fiquei no hotel mesmo, com alguns amigos e após drinks, fui ao quarto e dormi tanto que quase perdi o horário do café da manhã.
Desci rápido, tomei café e voltei ao quarto, adiantei a arrumação da mala, separei a roupa de viagem e fiz o check in on line.
Pensei, não vou ficar sozinho nesse hotel, vou sair e ver a cidade.
Fazia muito frio, mas mesmo assim fui a rua que mais gosto, parei em um café, pedi uma garrafa de champagne e fiquei fumando e bebendo, vendo a vida passar.
Por volta das 13 horas, fui ao meu restaurante predileto da área, esperei o pouco, mas meu dileto amigo/chef Fraçois logo me conseguiu uma mesa e trouxe meu vinho e pedi o de sempre.
O restaurante fechou, mas pedi mais uma garrafa de vinho e fiquei conversando com Fraçois, quando ele chamou a mesa um primo de sua mulher, que morava no Canadá e estava de férias na cidade.
Ficamos em um bom papo, e quando vimos já era seis da tarde e Fraçois precisava preparar o restaurante para o jantar.
Saímos eu e o primo da mulher do Fraçois, continuamos a beber em um bar próximo.
Denis já estava meio alto, e começou a falar que era separado, dois filhos que moravam com a mãe, tinha uma companheira no Canadá e estava na cidade de férias, aproveitando, também para resolver assuntos familiares.
Fui ao banheiro, e depois veio Denis e se colocou ao meu lado, olhou meu pau e disse que nunca tinha visto de brasileiro e achou graça.
Percebi as intenções de Denis, a conversa rumou para a sacanagem, e resolvemos fuder.
Denis estava hospedado perto e fomos andando, perguntei se ele tinha camisinha, pois eu não tinha, no caminho, ele parou em uma farmácia e comprou.
Chegamos no hotel onde Denis estava hospedado e subimos ao seu apartamento, tanta roupa para tirar.
Sentei no sofá, e Denis passou a chupar com volúpia meu cu, minhas bolas, meu pau, alternando linguadas e chupadas. 
Deitou sobre o braço do sofá de costa, empinando a bunda, após vestir meu pau, peguei um pouco de creme, passei no cu de Denis e comecei a meter, Denis reclamou, fui mas devagar e até que entrou tudo, ele levantou mais a bunda e passei a socar naquele cu.



Disse que queria me ver gozando, levantamos e fomos ao quarto  na bira da cama, Denis deitou, colocou dois travesseiros debaixo da bunda e voltei a meter naquele cu, ele gemia de prazer e passou a alisar seu pau.


Não resisti mais e gozei, ele apertou bem o cu e logo depois gozou também.
Acabei deitando na cama, minhas pernas estavam bambas.
Cochilamos e acordei logo depois, pedimos uma garrafa de vinho no quarto e voltamos a fuder.
Dessa vez meu pau demorou a subir, mas com maestria Denis se encarregou em atiçar o instrumento, lambia, chupava, brincava com meu pau, um mestre na arte do prazer.
Gozei novamente. Deitamos na cama, ele passou a me beijar e logo depois gozou.
Tomei banho, e quando vi já era quase 11 da noite, me vesti e chamei um Uber.
Denis falou que adorou esse brasileiro que aqui escreve, prometendo vir a Brasil para a gente fuder de novo.
Voltei ao meu hotel, e dormi rápido, cansado, mas ainda deu tempo de lembrar o cu maravilhoso de Denis.
Voltei ao Brasil, com a sensação que uma semana chata e cansativa de trabalho, valeu a pena a final.
Denis, que cu maravilhoso, cu estrangeiro de primeiro mundo.



domingo, 22 de janeiro de 2017

NO BANHEIRO DO AEROPORTO

Sai de Belém a tarde e rumo a SP, de lá pegaria um voo internacional.
Fiz o check in, passei pela segurança, imigração e me dirigi a sala VIP da Star Alliance.
Como sai direto do trabalho ao aeroporto, estava com fome e fui comer, tomei caipirinha e uma dose de whisky e como tinha mais 3 horas de espera, além de um voo de mais de 14 horas de duração, fui tomar banho.
Todas as duchas estavam ocupadas, e iriam me avisar assim que possível uma.
Voltei a sala e pedi mais uma caipirinha, eis que resolvi acessar o aplicativo de encontros gays, tinha bem perto uma pessoa que achei interessante.
Mandei mensagem e não tive resposta e esqueci, mas minutos depois abri novamente o aplicativo e tinha resposta, começamos a conversar e ambos estavam na mesma sala, pedi foto de rosto e retribui.
Ele veio ao meu encontro, era brasileiro, mas morava na França desde os 8 anos de idade.
Pedimos mais uma bebida, e lhe disse pena que não podemos fuder, ele disse, podemos sim, no banheiro.
Recebi chamado que estava livre a ducha e fui ao local, de lá teclei que cabine estava, minutos depois ele entrou, sem ninguém ver.
Não teve mais papo, o amigo da sala vip sentou no vaso e começou a me chupar, quase gozei.
Ele tirou a roupa e vi o maior pau da minha vida, mas o amigo, felizmente era apenas passivo.
Ficou de joelhos no vaso, coloquei a camisinha, sempre levo comigo e meti no amigo vip.
Um cu bem branco e apertado, mas ele falou que estavam doendo os joelhos, se levantou e sentou na pia e abriu bem as pernas.
Voltei a meter, se mole o pau dele era enorme, duro era gigantesco.
Gozamos juntos.
E agora, para ele sair, sem sermos visto.
Ele se vestiu e eu abri a porta bem leve e pedi a atendente mais shampoo, quando ela saiu para pegar, foi a deixa, ele foi embora.
Tomei meu banho, e quando voltei ele não estava mais na sala, teclamos ainda e ele estava no portão de embarque.
Tomei mais uma bebida e fui ao meu portão de embarque, dormi como um anjo, sonhando com aquele cu vip.



UM DELICIOSO CASADO PASSIVO 2

Lembram do kasadopassivo?
Pois bem, por volta das 14 horas liguei o celular de contatos e havia uma mensagem dele, onde relatava que estava livre na hora do almoço.
Como li tarde, não havia mais tempo.
Liguei e ele disse que só poderia a noite, sendo que sua família estaria chegando por volta da meia noite e iria ao aeroporto.
Inventei uma desculpa em casa e chegue na casa do kasadopassivo quase as 19 horas.
Ele me tascou um beijo longo e profundo, e enquanto me beijava, alisava meu pau, que já estava duro como pedra.
Viu que ainda estava eu de paletó e me levou para tomar banho, me despiu como uma gueixa, no banho me ensaboou, brincando várias vezes com meu pau.
Ele me enxugou e fomos para o seu quarto, ele brincou, vou virar a foto da minha mulher para ela não ver a nossa sacanagem. 👮
Deitei na cama e o kasadopassivo começou a me chupar, falando que adorava meu pau, pois apesar de não ser gigante era grosso, chupava, chupava, e como chupava bem.
Mandei ele ficar de 4 e comecei a chupar seu cu, ele tinha depilado, estava liso e bem rosado.
Meti a língua naquele cu, e o kasadopassivo gemia de prazer, adorei chupá-lo, um cu bem feito e bem liso.
Ele novamente me deitou na cama, colocou a camisinha no meu pau, gel e sentou nela de costas, falou para eu imaginar uma buceta, o kasadopassivo entra e saía do meu pau, gemendo, adorando, balbuciando sacanagens.
Gozei como um doido.
Ele tirou a camisinha do meu pau, voltou a chupar, mesmo o pau estando mole e gozou.
Levantou, trouxe lenços umedecidos e limpou meu pau.
Fomos nus a sala, e ele trouxe cerveja, não gosto muito, mas bebi com ele.
Colocou um DVD era uma mulher e dois homens, todo mundo comia todo mundo, ele se ajoelhou a minha frente e voltou a chupar meu pau, meu saco, minha virilha, o kasadopassivo sabe chupar muito bem.
Já estava cansado, mas mesmo com minha idade, meu pau ficou novamente duro, ele colocou camisinha no meu pau e sentou nele, eu sentando no sofá, atolado todo o cu no meu pau e ficou rebolando, pediu para eu lhe chamar de puta, de arrombada. De repente, se levantou e quando voltou do quarto estava com uma calcinha preta.
Afastou a calcinha, colocou um pouco mais de gel e voltou a sentar no meu pau.
Gemia o kasadopassivo, e eu demorando a gozar, mas ele queria mais e mais.
Finalmente gozei, o kasadopassivo adorando, saiu de mim e me mostrou, tá vendo, teu pau é uma delícia, sem pegar no meu estou todo melado.
Quando me dei conta era quase 10 da noite, fui ao banheiro, me limpei e ele me beijou de novo.
Falou que queria mais, mas raramente ficava sozinho em casa.
Estou às ordens kasadopassivo, um cu maravilhoso e gostoso de se comer.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

APLICATIVOS GAY

Voltei de uma viagem cansativa de trabalho ao exterior e em razão do clima, minha conexão atrasou por quase quatro horas e ao chegar em São Paulo, perdi meu voo a Belém.
Fui no balcão da TAM e remarquei a passagem para o dia seguinte as 10:55.
Liguei para um hotel próximo do aeroporto e tinham vaga, peguei o transporte do hotel e fui para lá pernoitar.
Liguei para casa e contei o ocorrido, e agora paciência, só me restava esperar o dia seguinte.
Nessa viagem, um casal de amigos gays, me falaram que se conheceram em um aplicativo e gravei o nome.
Como não conseguia dormir, acabai baixando esse aplicativo, fiz meu cadastro e obviamente coloquei uma foto que peguei na internet, parecida com meus traços físicos.
Mas nada apareceu de interessante nesse aplicativo.
Como não conseguia dormir, fui para o bar do hotel na piscina, que fica no mesmo andar da academia.
Pedi uma vodka e entrei novamente no aplicativo, foi quando apareceu um homem, dizendo ser casado, 46 anos e estava a menos de 100 metros.
Chamei o dito cujo, que tinha o nome de Solano. Respondeu de imediato, e ficamos trocando mensagens. Solano me disse que estava no mesmo hotel, com a esposa e dois filhos, mas queria fuder.
Falou que disse a esposa que iria a academia.
Fiquei meio assustado, mas topei. Minutos depois, chega o Solano com roupa de ginástica, me cumprimentou e falou que eu não era o da foto, mas entendeu, pois também era casado.
Assinei a nota do bar e fomos ao meu quarto no hotel.
Nos beijamos profunda e longamente, Solano era peludo, gordinho, portanto um belo espécime para se saborear.
Tirou sua roupa e deitou na cama, e pediu para eu lhe chupar, mas falei que não curtia, ele insistiu e fizemos um breve 69.


Depois pedi para ele continuar, Solano chupava como ninguém, e enfiei um dedo no seu Cu, o homem ficou louco, pedi mais e mais.
Coloquei Solano de 4, pus a camisinha e tentei meter, mas o cu era bem apertado, tendo Solano me dito que não fudia a quase um ano, passei bem KY e meti, Solano urrou de dor, mas continuei socando aquele cu peludo.
Pedia mais e mais, e fiquei me deliciando vendo meu pau entrar e sair daquele cu lindo e peludo.
Gozamos juntos, e caímos exaustos na cama.
Solano logo se levantou, foi ao banheiro, se limpou e disse que tinha que ir embora, pois sua mulher poderia desconfiar.
Meu deu um beijo e apertou me pau, falando que adorou ser comido por mim.
Agora sim consegui dormir.
Porém, ainda não acabou.
Pela manhã fiz meu check out no hotel e entre no transporte para ir ao aeroporto, pois não é que entrou no ônibus, o amigo Solano, sua esposa e dois filhos.
Nos olhamos e nada falamos.
Chegamos no aeroporto e fiz o despacho da mala, fui para o lado de fora para fumar.
Eis que chega Solano, me disse que ficou nervoso ao meu ver no ônibus, mas o bom de sair com casados maduros e a discrição.
Falou que queria me chupar mais uma vez, disse-lhe que tinha um banheiro tranquilo, e fomos.
Entramos no banheiro reservado a deficientes físicos, bem mais espaçoso,
Foi só o tempo de entrar, Solano abriu minha calça e sentando no vaso ficou me chupando, acabei gozando na sua boca, e Solano queria cada gota de esperma.
Disse que queria ficar com meu gosto na boca.
Sai primeiro do banheiro e fui ao portão de embarque.
Depois ele passou por mim, apenas me olhou e foi embarcar com sua família.
Solano mora em Palmas, e quem sabe outro dia qualquer a gente se encontra em um aeroporto da vida.
Valeu Solano, fez meu pernoite em SP ser agradável e prazeroso.

MAIS UM NOVINHO

Parece que meu caminho tem cruzado com caras novos.
Fui pegar meu filho em um local em Belém chamado Vegas, na Doca.
Estacionei o carro e liguei ao meu filho, ele pediu para ficar mais um pouco, assim fui ao referido estabelecimento e fiquei sentado do lado de fora, pedi um whisky para esperar.
Duas meses depois da minha, estavam três rapazes, um ficava o todo tempo me olhando, mas fiquei na minha.
Minutos depois meu filho apareceu e perguntou se poderia dormir na casa de um amigo, e o pai dele iria pegá-los, fiquei puto, pois sai de casa de madrugada e ele poderia ter me dito logo, mas entendi, coisas de jovens.
Pedi a conta e fui embora, antes de chegar ao meu carro, parei, e comecei a fumar um cigarro, mas tinha percebido que o rapaz que ficou me olhando veio atrás de mim.
Ele parou ao meu lado e perguntou se lhe daria um cigarro, respondi brincando que devemos ter dinheiro para bancar nossos vícios, mas ele respondeu que poderia me pegar, não em dinheiro, mas com outras coisas.
Disse-lhe, que coisas.....
O rapaz se chamava Thiago e me falou que gostava de maduros e percebeu que também fiquei lhe olhando.
Thiago disse ser passivo e morava perto, e estava sozinho no apartamento, seus pais tinham viajado.
Um menino apenas, de 19 anos, mas topei.
Fui seguindo seu carro e ele autorizou minha entrada pela garagem, estacionamos os carros e subimos ao seu apartamento.
Thiago era um belo rapaz, liso, e cheio de tesão.
Ao chegarmos tomei mais um dose de whisky do seu pai, e Thiago já voltou a sala completamento nu.
Perguntou se eu tinha gostado, mas antes de responder, ficou de joelhos, abriu a minha calça e começou a me chupar, falando que adorava pau de homem casado.
Terminei logo a dose de whisky.
Thiago, apesar da pouca idade, chupava como um mestre, chupou meu pau, minhas bolas e meu cu.
Fomos ao seu quarto, ele se colocou de quatro e vi aquela bunda novinha, sem pelos e não contei conversa, meti a língua naquele cu, Thiago rebolava, pedia, vai Pai chupa mais.


Thiago acabou gozando, isso sem pegar no pau.
Mas ele disse, não se preocupe Pai, você vai gozar gostoso,
Abriu uma gaveta e tirou camisinhas, volto a chupar meu pau e logo vi que Thiago ficou novamente de pau duro, nada como ser novo, tesão transborda.
Deitei na sua cama, ele colocou a camisinha em mim e sentou no meu pau.
Que cu apertado, lindo de se ver.
Pedi para ele ficar de costa e ele obedeceu, ficou socando aquele cu no meu pau sem dó, o moleque sabia fuder.
De repente tirou e ficou de frango assado, colocando dois travesseiros debaixo de sua bunda.
Meti de novo, o moleque queria ver minha cara ao gozar.
Bombei com força aquele Cu, o moleque gemia, falava que minha pica era grossa, vai Pai mete tudo, goza nesse Cu e gozei.
Deitei de cansado e Thiago volto a me chupar, até meu pau amolecer por completo.
Trocamos zap e Thiago vai me avisar, quando novamente ficar sozinho em casa.
Bem, na falta de ursos maduros, os moleques tão sendo ótimos.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

NOVINHO GOSTOSO

Geralmente não curto caras novos.
Mas estando na seca, apareceu uma oportunidade e valeu a pena, o puto é bem gostoso.
Ele me recebeu em sua casa bem aberto.


terça-feira, 7 de junho de 2016

UM DELICIOSO CASADO PASSIVO

Estive a trabalho em Brasília na quarta e na quinta e não tive condições de marcar nada, muito trabalho, sem sobrar qualquer tempo.
Acabei voltando na quinta no último voo e estava exausto.
Resolvi não ir trabalhar na sexta.
A mulher foi para o trabalho e os filhos à faculdade.
Resolvi descansar e fui para a piscina e pelo celular acabei entrando no bate papo da UOL.
Comecei a conversar com um cara chamado kasadopassivo, era militar e estava de folga em casa, apenas com a empregada, assim não poderia me receber.
Resolvi entrar no skype e ele se mostrou, um bom homem para se comer.
Ele queria me ver de qualquer jeito, assim coloquei o óculos escuro, boné, virei a câmera do celular em direção ao sol e ele se queixou que não via quase nada.
Relatei que não gosto de me expor, mas acabamos marcando.
Fui rápido ao banheiro, tomei banho e me viste e fui ao seu encontro.
Era um homem branco, meio gordinho, com 42 anos e bem apresentado.
Falei que só dava para ele me chupar, mas ele queria dar e eu comer, estava semanas sem apreciar um cu de homem.
Disse-lhe que ele poderia entrar no motel no meu carro, mas escondido. Ele foi para o banco de trás, se deitou e assim rumei ao motel.
Consegui entrar, sem ele ser visto.
Ao chegarmos no quarto, ele disse que era minha puta, tiramos rapidamente nossas roupas e o kasadopassivo começou a me chupar com maestria, chupava bem devagar, aproveitando cada pedaço do meu pau.
Explodindo de tesão, virei o kasadopassivo, ficou de 4 na cama, uma bunda branca, marcada pela sunga bem bronzeada.
Coloquei a camisinha, um pouco de KY e mirei no cu do kasadopassivo, no início estava bem apertado, mas logo relaxou e comecei a bombar aquela bunda maravilhosa.
Ele gemia, pedia para eu meter mais, ficou cada vez mais aberto e se esticou na cama, deixando toda aquela visão ao se meter.
Não aguentei muito tempo e gozei.
Fomos tomar banho, ele me tratou com carinho.
Voltamos para a cama e conversamos sobre assuntos banais, mas ele queria mais. Disse que queria provar minha gala.
Ligou a TV e surgiu um filme pornô.
Foi em direção ao meu pau, ainda meio mole e começou a chupar novamente, enquanto se punhetava, falava coisas sem sentido e sem eu conseguir entender.
De repente disse que iria gozar e junto com ele gozei na sua boca.
O kasadopassivo engoliu cada gota e ficou brincando com meu pau no seu rosto.
Que foda espetacular.
Sua mulher e filho irão viajar para o interior do Estado em breve, por poucos dias e ele quer que eu vá na sua casa e fiquemos o dia todo fudendo. Só estou esperando o sinal verde dele.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

ÀS CEGAS

Estava eu com tempo livre na hora do almoço e resolvi apenas descansar. Tomei um café e fiquei lendo um livro, mas depois de meia hora resolvi entrar no site URSOS.
Depois de alguns minutos, entrou online um homem que vou chamar de MADURO, após algumas mensagens, fomos ao whatsaap.
A foto dele era bem interessante, um cara meio gordinho, 50 anos e separado.
Ainda, estava em seu apartamento, a poucos passos do local onde eu trabalho.
Marcamos a foda, ele estava de folga nesse dia e resolvi ir a pé, apesar do sol escaldante.
Ele apenas me fez um pedido, não queria beijo nenhum e só queria ser fudido, mais, pediu que eu fosse apenas metendo e gozasse e por fim, que estaria de olhos vendados, era sua fantasia.
Em menos de 10 minutos cheguei a portaria do seu prédio, interfonei e autorizada a minha entrada.
Ao chegar no seu andar, toquei a campainha, o MADURO abriu a porta e estava com os olhos vendados, disse apenas OI.
Foi tateando e me levou ao sofá, tirou a cueca e ficou de quatro.
Meu pau ficou duro na hora, coloquei a camisinha e do lado do sofá tinha KY, coloquei naquele cu bem peludo e meti com força, o MADURO só gemia.
A cada estocada, ele empinava mais o rabo, meti cada vez mais forte e finalmente gozei.
Ele ficou sentando no sofá e ainda de olhos vendados, tirou minha camisinha e chupou o resto de gala do meu pau.
Fui rápido no banheiro e ao voltar o MADURO ainda estava de olhos vendados, disse-me tchau e que podia ir embora.
Assim, fiz, fui embora e ao esperar o elevador, vi que ele trancou a porta.
Nunca tinha vivido essa experiência.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

MANAUARA TESÃO

Mais trabalho e sem sinal de algo bom no ar, mas a vida apresenta alguns acontecimentos.
Passei um terça-feira toda cheia de serviço em Brasília e depois ainda teria que ir ao Panamá, participar de um encontro, onde seria um dos representantes brasileiros no evento.
Na madrugada da quarta-feira as 02:30 da manhã embarquei de Brasília para o Panamá e com essa contenção de despesas no governo, meu voo foi na classe econômica.
Minha mulher não pode ir, pois pensei que poderíamos depois do evento, passar alguns dias em alguma ilha do Caribe.
O evento ocorreu na quarta o dia todo e na quinta pela manhã e terminando, fui correndo ao aeroporto pois embarcaria as 16 horas de volta a Belém, por Manaus.
O voo chegou em Manaus as quase as nove da noite e neste voo, consegui vir na classe executiva.
Mas teria que esperar muito no aeroporto de Manaus, pois meu voo para Belém só sairia as quatro da manhã.
Após o almoço a bordo, pensei em descansar um pouco, entretanto ao meu lado tinha um senhor por volta de 50 anos, moreno bem claro e acabamos conversando.
Ficamos batendo papo, tomando umas bebidas e era uma pessoa bem interessante e culta,
Disse que era empresário e viajava muito ao Panamá e a Miami, em razão dos negócios.
Perto de chegarmos em Manaus, serviram um lanche e descansei um pouco.
Desembarcamos e na fila da imigração comentei que teria que esperar muito tempo no aeroporto, para poder retornar a Belém, quando o empresário disse: falam que só o pessoal de Manaus e mais fogoso que os Paraenses, ri e pronto, não imaginava algo mais.
As malas chegaram rápido e fui ao check in da TAM redespachar para Belém.


Com sede, fui a uma lanchonete e fiquei bebendo água, quando tocam no meu ombro e ao me virar era o empresário.
Perguntou se eu queria jantar ou ir a algum lugar, dizendo que estava com pena de mim, ficar mofando no aeroporto. Agradeci, mas falei que o que queria mesmo era dormir, diante do cansaço.
O empresário disse, sozinho ou acompanhado? Respondi, bem melhor acompanhado.
Nesse momento, eu ainda sentado e ele de pé, senti que seu pau começou a aumentar, a calça começou a se mexer.
Aí não tinha dúvida, entendi o que o empresário queria.
Como tinha bastante gente ao redor, falei para irmos lá fora, pois queria fumar.
Fomos, lá chegando acendi um cigarro e perguntei o que ele curtia, disse TUDO.
Falou que poderíamos ir a um motel e na volta me deixava no aeroporto, não teria problema com a mulher, pois já está acostumada com as suas viagens e sempre atrasam.
Tope e fomos a posição dos táxis. Entramos e ele disse ao motorista, por favor me leve ao Playboy Motel na Torquato.
Fiquei mudo, nunca tinha entrando em motel com outro homem de táxi, mas como ninguém me conhece, tentei relaxar.
Chegamos no motel e ele pediu uma Suíte Real, logo vi que era frequentador.
Mal entramos na suíte, o empresário me tascou um beijo, longo e profundo.
Fui tomar banho, porém logo depois ele entrou.
Um belo homem, cabelos grisalhos no perito, uma bunda deliciosa.
Ficamos tomando banho e mais beijos.
Fomos para a cama, ele ficou de 4 e pediu para eu chupar, aquele cu lindo, de imediato meti minha língua, o empresário gemia de prazer e batia punheta.
Deito-me na cama e mais beijos, foi descendo, chupando meu peito e parou na minha pica, sorvia deliciosamente.
Levanto e foi buscar sua mala, tirou KY e camisinhas. Colocou a camisinha no meu pau com a boca, passou KY no cu e sentou no meu pau, disse brincando, foi de mostrar que os Manauaras são quentes.
O empresário sabia como fazer, com maestria fudia a minha pica, num vai e vem alucinante, falei que iria gozar e ele aumentar as socadas e também gozou, o impressionante, sem pegar em seu pau, gozou de dar o cu. MARAVILHOSO.
Tomamos uma cerveja e o tempo passou rápido, disse que tinha que voltar ao aeroporto. O empresário disse que queria ficar com o meu gosto, voltou a chupar minha pica e gozei novamente.
Tomamos outro banho e ele me deixou no aeroporto.
Falou que não tem planos de ir a Belém, mas fiquei com saudade do empresário.
Hoje a gente se fala no whatsapp e vamos tentar marcar outro encontro.
Se rolar, quero que meu voo de conexão seja o mais longo possível.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

PILOTO FOGOSO

Cheguei em SP a trabalho e quem iria me pegar não apareceu.
Então, como meu hotel era perto do aeroporto de Congonhas resolvi pegar o ônibus gratuito que a TAM fornece, mas estava cheio.
Reportei o fato a um funcionário da empresa e disse que tinha compromisso e como a fila de táxi estava imensa com certeza chegaria atrasado.
O funcionário então me colocou em uma Van onde também estavam pilotos e comissários da TAM quase ao meio dia.
Fomos conversando no caminho, sobre essa profissão que fica fora de casa muito tempo, os novos lugares que se conhece.
Um dos pilotos me chamou atenção, falou que era do Rio e adorava Belém, sendo que faz tinha feito muito a rota Manaus - Recife, que passa por Belém e Fortaleza.
Por coincidência o hotel que iria ficar era o mesmo do pessoal da TAM.

Fiz o check in e só deixei a mala no quarto e logo chegou o motorista para me levar a reunião.
Por volta das 21 horas voltei ao hotel, pois estava muito cansado e não quis sair para jantar com o pessoal, sendo que já retornaria a Belém no dia seguinte as 10:45.
Subi ao quarto, deixei o paletó e resolvi ir ao bar do hotel para relaxar. Sentei e pedi um whisky. Quando eu estava na segunda dose, vi o piloto em uma mesa perto, sozinho.
Apesar da minha timidez resolvi arriscar e fui cumprimentá-lo, ele retribuiu com um largo sorriso e me convidou para sentar, o que aceite de pronto e pedir ao garçom para trazer meu copo que tinha deixado na mesa.
Era um homem bem interessante, cerca de 1.80m, moreno bem claro, casado, não era gordinho, mas fiquei interessado.
A conversa fluiu muito bem, quase perto da meia noite ele falou que iria dormir, pois teria que voar logo cedo, como prometi lhe mandar bombons de cupuaçu.
Subimos, pois estava sem celular para anotar o endereço. Entramos no meu quarto, fechei a porta e me dirigi a mesa, onde tinha caneta e bloco. Sentei e disse, pode falar teu endereço e anotei.
Perguntei se ele queria mais uma bebida e aceitou uma água, fui ao frigobar e lhe dei a água.
Fui ao banheiro, pois bexiga cheia, mas deixei a porta aberta e vi ele me olhando, demorei, balancei meu pau e ele continuava olhando.
Quando voltei ele estava sentado na beira da cama e vi que seu pau estava duro, mas ele nada falava. Vencendo mais a timidez, falei que pena, apenas ficarei com teu endereço e nada mais.
Ele perguntou o que eu poderia querer mais, retruquei o que tens para oferecer. Nisso ele pega meu pau, e retribui. Quando ele falou que estava com receio, pois ficou na dúvida se eu curtia homem, respondi, curto.
Nos levantamos e trocamos um demorado beijo, o piloto voltou a sentar na cama, pegou bem firme meu pau e começou a chupar e gemia ao mesmo tempo.
Tiramos nossa roupa e ele tinha um peito peludo, fomos para a cama e fizemos um gostoso 69.
Ele ficou de 4 e passei a chupar aquele cu lindo e peludinho, estourando de tesão não via a hora de meter no piloto, mas a gente não tinha camisinha e voltamos a pegação.
Ele disse vou te fazer gozar como nunca. Pegou dois travesseiros, colocou na beira da cama e pediu para eu deitar, depois se ajoelhou e começou novamente a me chupar, com maestria, chupava meu cu, depois alternava na minha pica, sensações maravilhosas.
Gozei farto na boca do piloto que engoliu cada gota.
Voltamos a deitar e ele queria gozar, fiquei ao seu lado falando boas sacanagens em seu ouvido e ele punhetando, chupei meu dedo e passei a meter naquele cu divino, o piloto gozou como nunca.
Fomos ao banheiro e tomamos um bom banho.
Já marcamos para o mês seguinte para nos encontrarmos em Brasília, quando ela dormirá um dia. Eu teria que ir e voltar nesse mesmo dia, mas vou dormir, pois agora não deixarei de comer o meu piloto fogoso.


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

CASAL PUTO - MARIDO CORNO/BI E PUTA FOGOSA

Conversando com um amigo, ele me falou de um site de encontros chamado SEXLOG, muito dedicado a casais.
Resolvi arriscar e fiz meu cadastro.
De repente fui chamado para adicionar como amigo um casal que mora no interior do Pará.
O casal era interessante, ele bi passivo e ela gosta de ver o marido transando com outro.
Ficamos batendo papo e trocamos telefones.
Finalmente o casal viria passar um final de semana em Belém e ficariam hospedados em um hotel na avenida nazaré.
Marcamos para nos encontrarmos sábado quase no final da tarde, arrumei uma desculpa em casa e fui ao encontro do casal.
Eles estavam no bar do hotel, me aproximei e tomamos uns drinks.
Acertamos, eles iriam subir e depois eu.
Ao chegar no apartamento, quem me recebeu foi a mulher, apenas de calcinha e logo agarrou meu pau, me puxou para dentro e me deu um longo e profundo beijo.
O marido estava sentado em uma cadeira, também de calcinha, uma calcinha vermelha.
Ela era muito cheirosa e fomos para a cama, chupou meu pau com maestria e fizemos um 69.
Tinha uma buceta, linda, rosada.
O marido veio ao nosso encontro na cama e ambos passaram a chupar meu pau.
Meti o dedo na bunda dela, mas ela disse, depois, quero que você coma esse viado e apontou ao seu marido.
Ele se colocou de 4 na cama, coloquei a camisinha e ela lubrificou o rabo do marido com KY e ficou me chupando, uma chupada e uma dedada no rabo do corno.

Ela foi quem conduziu o meu pau no rabo do marido, que já rebolava de tesão.
Ela se deitou debaixo dele.
Ele chupava a buceta dela e ela passou a chupar meu saco.
Uma sensação maravilhosa.
Quanto mais eu metia no marido, mais ela gostava e pedia para eu enfiar fundo.
Disse que iria gozar, ela pediu para eu parar.
Tirou meu pau do cu do corno e se colocou de frango assado e pediu para eu meter, fiz de imediato, ela gritava de prazer e o viado do marido chupava seus peitos.
Tirei meu pau daquela buceta, tirei a camisinha e ambos passaram a me chupar, gozei como nunca e o casal engolia cada gota.
Nunca tinha gozado de tanto prazer.
Fomos os três ao banheiro e mesmo com o box apertado, tomamos banho, ela me ensaboava e pediu para o marido mostrar o cu aberto e meteu o dedo.
Fomos para o quarto e tomamos umas cervejas, depois ela me pediu para que eu comesse seu cu.
Assim, fiz, agora foi o corno que preparou o caminho, meti sem pena, a puta gemia e fiquei de lado, deitado na cama, comendo aquela bunda.

O marido foi ao meu encontro e ficou metendo a língua na minha bunda.
Não aguentava mais, puxei a vadia, coloquei de 4 na cama e meti tudo, com força, ela quase que desmaiou e gozei até o fim.
Ao sair daquele cu, o maridão se colocou a chupá-lo, pegando toda a gala na sua boca.
Quando vi já era quase nove horas da noite, me despedi e ficamos de marcar outro encontro, quando voltarem a Belém.
Foda linda e prazerosa.
Valeu casal fazendeiro.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

CU MARAVILHOSO

Comi esse amigo que não fudia faz muito tempo.
Estava me esperando em sua casa com o cu lindo e bem aberto.
Um puto da melhor qualidade.